A MUSICA QUE OUVE É UMA OFERTA DA BRIGHAM YOUNG UNIVERSITY

quarta-feira, 30 de março de 2011

Conferência Geral

Conferência Geral

quarta-feira, 24 de março de 2010

Concurso Mórmon Parley P. Pratt de Contos em Português


A fim de promover e desenvolver a literatura Mórmon em Português, a Editora Samuel Lamanita http://www.samuellamanita.com
E o Grupo Informativo Alaum
(http://informormon.blogspot.com) tem o prazer de anunciar o primeiro
Concurso Mórmon Parley P. Pratt de Contos em Português. Começando o dia 1 de
Abril, os mórmons que escrevem em português poderão enviar seus textos
(através do website do concurso - http://concursopratt.com ) para concorrer
para publicação de conto e para prêmios que totalizam R$ 1.000 (Reais -
aproximadamente US$ 500 ou 400 euros).

O concurso é a primeira tentativa de incentivar o desenvolvimento da
literatura Mórmon em português. Embora houve membros da Igreja SUD que falam
a língua portuguesa desde a década de 1940, o número de membros tornou-se
suficientemente grande para ver a cultura Mórmon local desenvolver somente
nas últimas duas décadas. Com uma audiência suficientemente grande, agora é
a hora de ver o que os membros que falam português possam produzir.

Os interessados podem apresentar por escrito os seus contos a partir do 1 de
Abril, e antes do 1 de Julho. Os vencedores do concurso e os contos
selecionados para serem incluídos na antologia publicada serão anunciados no
dia 1 de Outubro. A antologia deve estar disponível a partir do 1 de
Dezembro.

O concurso está aberto a todo mundo, e cada concorrente pode apresentar até
três contos de até 10.000 palavras, porém as inscrições devem ser escritos
em português e devem ter algum tipo de conexão com o mormonismo. Um júri de
três pessoas julgarão as entradas e selecionarão tanto os que receberão
prêmios em dinheiro e os que serão incluídos na antologia. Os organizadores
e os jurados e suas famílias são inelegíveis. [Por favor, leia as regras
(http://concursopratt.com/concursopratt/edital-do-concurso/) antes de
apresentar uma inscrição.]

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Um Novo Blog "O Livro de Mórmon"

Amigos do Blog O Evangelho Segundo Isaías, em breve teremos um novo Blog .... aguardem!!!


sexta-feira, 30 de outubro de 2009

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

segunda-feira, 15 de junho de 2009

A parte mais importante da obra de Isaías


Isaías 46-54



Uma Introdução ao que irá ser revelado

v. 8-10 – “Lembrai-vos”, esta é a petição de Jeová para nós a Israel moderna. Porque o ser humano esquece das coisas espirituais com tanta facilidade?
No v. 10 Jeová apresenta uma segurança quanto a sua postura em relação ao ser humano. Como saber que Deus tem revelado o fim desde o princípio te ajuda a manter-se firme no evangelho restaurado?

A partir deste momento Isaías compartilhará cnosco uma assombrosa antecipação do caráter e obra do messias.

Isaías 48



O Senhor ensina para Israel coisas novas e ocultas
O capítulo 48 é uma introdução a capítulos de extrema importância. Nos próximos capítulos será revelado , com detalhes, a obra expiatória do Servo Sofredor e também características específicas da obra de restauração e coligação da Israel dispersa nos últimos dias.


v. 1-2 – No LM o sentido deste capítulo é aclarado de forma a entendermos a falha de caráter da Israel. Faziam convênios (alusão ao batismo) porém não viviam, tomam o nome de Deus mas não tem firmeza.
O que leva muitos de nós a tomarmos convênios e não cumpri-los? Quais coisas ajudam a nos firmarmos em Deus?
v. 6-8 - O Senhor está disposto a ensinar coisas novas para nós todos os dias. Ficaremos reunidos aqui durante o tempo desta aula e o Senhor irá ensinar uma coisa nova para você. Porém você precisa permitir-se ser ensinado.

v. 17-19 – Se permitirmos que o Senhor nos ensine, qual bênçãos teremos? Observe que Ele ensina o que é útil!


Mas afinal o que ele revelará ?

Isaías 49



1ª. Coisas Nova
O Servo do Senhor é a luz dos gentios
Neste capítulo o Servo é apresentado como sendo o profeta, porém Isaías atua como um protótipo de Cristo. As dificuldades de seu ministério assemelham-se com as que Cristo vivenciou.
v. 4 – Isaías sente que seu ministério não tem sido eficaz, porém sabe que o Senhor o aceitou.. No v. 5 Israel não quis ser acolhida( ver 3Néfi 10:5-6) – porém Isaías tem ampliada a visão de seu ministério no v. 6 – ele não estava somente coligando o povo de Judá ou da Palestina, mas sim alcançaria até as extremidades da terra – todos os gentios. Hoje nesta sala de aula temos o cumprimento desta profecia. Isso era uma coisa nova para o judeu. (ver 1 Néfi 13: 40-42, 14:1-2, A extensão da salvação em igualdade a toda a criatura

O Senhor promete a Sião uma nova vida de alegria e prosperidade(v.10 -13) porém eles começam a perder a esperança, porém o Senhor não vai esquecer do convênio que fez (ver v.14-16) – Como fomos gravados na mão de Dele? As marcas dos cravos nas mãos de Cristo são o registro na sua carne ressureta de que ele não vai esquecer de nós, e será por este sinal que o descendentes de Judá reconhecerão que ele é o Seu Rei, Seu Deus e Seu Redentor (Ver D&C 45:51-54)

Isaías 50 e 51




Os capítulos 50 e 51 mantém o tema do 49. O Senhor por meio da metáfora do casamento e divórcio deixa claro que Israel pode ainda obter a restauração de sua condição de esposa. Todos podemos ainda obter a nossa condição de eleitos por meio do arrependimento (50: 1-2)
Nos versos 50:4-7 ele revela mais características do servo que nos conduzem a vida de Cristo.
No 51 faz promessas gloriosas (VV. 3, 11, 14-16)

2ª. Coisa Nova
A Salvação de Deus ocorrerá pelas mãos de um SERVO e não de um REI

Isaías 52



Houve-se o clamor de Deus: “Desperta” – abre teus olhos, levanta do leito e prepare-se para revelação de algo muito importante. (vv. 1-3)

Isaías 53


Isaías de forma emocionante revela o Messias Servo.
v. 2-3 – Cristo foi concebido, nasceu, cresceu em uma terra seca. Em meio a desafios e perigos de morte. Seu nascimento não foi noticiado e nem séquitos reais o visitaram, nem mesmo sua mãe foi auxiliada por uma mulher experiente ou um médico, mas sua mãe viu-se sozinha em suas dores e o recebeu em um leito dividido com animais. Seus visitantes foram pastores, profissionais listados no rol dos sem honra, pela sociedade. Mais tarde ele tornaria este trabalho um modelo de liderança e daria a ela um valor incalculável.

v. 4- 5 – Quão perfeita é a compreensão de Isaías. Ele entende que Cristo por vontade própria e amor genuíno toma e experimenta as dores e misérias do ser humano. Ele sabe o que é a fome pois jejuou por 40 dias. Ele sabe o que é ter sede, pois na cruz passou pela mais severa desitratação e recebeu vnagre em sua boca, ele sabe o que é a dor do corpo ferido pela tortura, pois chicotes rasgaram a sua carne e pregos de aço furaram as suas mãos e pés, ele sabe o que é dormir ao relento, pois afirmou que sequer tinha lugar para reclinar a cabeça, ele sabe o que é ser traído por um amigo muito próximo e ser capaz de entristecer-se por não poder ter conseguido salvá-lo, ele sabe o que é a injustiça dos julgamentos humanos e de suas instituições pois foi julgado ilegalmente três vezes em uma só noite, ele sabe o que é ser abandonado por seus amigos e ainda saber que o único que o seguiria naquela noite o negaria três vezes, ele sabe o que é ser impedido na hora da sua morte de beijar e abraçar a sua mãe, ele sabe o que é ser caluniado, ser chamado de beberrão, comilão e ladrão. Ser chamado até de filho do Diabo. Ele sabe o que é sentir que o próprio Deus o abandonou. ELE SABE tudo isso e muito mais.

Irmãos, ele é a única fonte segura de livramento do sofrimento.
Esta é a maior coisa que o ser humano precisa aceitar. A expiação é a porta para o Reino.

Isaías 54:1-3




3ª. Coisa Nova
– A Coligação de Israel é algo muito maior que um retorno a sua terra – o alcance da restauração é planetário!
v. 18-26 - Israel durante séculos foi delapidada e viveu sobre o jugo de povos estrangeiros (exceção feita ao período da dinastia Davídica), Isaías pinta um quadro de redenção onde Israel descobrirá que o número de descendentes é muito maior do que eles tem conhecimento, e o mais surprendente é que as nações ajudarão a Israel a retomar sua grandeza. E isso tudo para que eles saibam que o Senhor cumpre as suas promessas.
Todo o capítlo é uma pintura do trabalho de restauração e do sentimento de alegria que advém dele.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Isaías começa a revelar o SERVO de Deus

Isaías 40-46

 

 

Isaías 40:1-11

 

1 CONSOLAI, consolai o meu povo, diz o vosso Deus.
2Falai benignamente a Jerusalém, e bradai-lhe que {já} a sua malícia é acabada, que a sua iniqüidade está expiada {e} que {já} recebeu em dobro da mão do Senhor, por todos os seus pecados.
3 Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor: endireitai no ermo vereda a nosso Deus.
4Todo o vale será exaltado, e todo o monte e {todo} o outeiro serão abatidos: e o que está torcido se endireitará, e o que é áspero se aplainará.
5E a glória do Senhor se manifestará, e toda a carne juntamente verá que foi a boca do Senhor que isto disse.
6Voz que diz: Clama; e alguém disse: Que hei de clamar? Toda a carne {é} erva e toda a sua beleza como as flores do campo.
7Seca-se a erva, {e} caem as flores, soprando nelas o hálito do Senhor. Na verdade o povo é erva.
8Seca-se a erva, {e} caem as flores, mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente.
9 Tu, anunciador de boas novas a Sião, sobe tu a um monte alto. Tu, anunciador de boas novas a Jerusalém, levanta a tua voz fortemente; levanta-a, não temas, {e} dize às cidades de Judá: Eis aqui {está o} vosso Deus.
10Eis que o Senhor JEOVÁ virá como o forte, e o seu braço dominará: eis que o seu galardão {vem} com ele, e o seu salário diante da sua face.
11Como pastor apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e {os} levará no seu regaço: as que amamentam, ele guiará mansamente

 

 

No capítulo 40, inicia-se uma nova onda profética nos escritos de Isaías.

Sua profecia deixa de ser de julgamento e se enche de esperança.

Suas palavras começam a desenhar os atributos, poderes e obras do Messias.

 

v. 1 e 2 - Consolai –Isaías inaugura um tempo de consolo e libertação. A mensagem dele é uma mensagem de conforto e esperança. – Dualismo Profético – Este versículo (v. 2) dará a indicação do tempo de ocorrência da profecia – palavras chaves servidão acabada e iniquidade expiada – estas coisas são para o fim dos tempos não aconteceram nem no tempo de Cristo.

v.3 – A vinda do Messias é precedida de um precursor com grande poder de transformar e mudar coisas que aparentemente são impossíveis de mudar.

v. 5 – Esta transformação é acompanhada pela manifestação da glória de Deus.

v. 6-8 – A fragilidade da vida humana diante da perenidade da palavra de Deus. A grande mensagem da restauração – a consolação do Senhor é que as suas promessas não passarão.

v. 9 – Nós somos os anunciadores da boa nova(evangelho).

v. 10 – Claramente trata da segunda vinda de Cristo. Descreve um Jesus conquistador.

v. 11 – Porém o Senhor é o bom Pastor – ver

Salmo 23 – ele traz os cordeiros junto a seu peito, em um abraço acolhedor, ele guia suas ovelhas com mansidão.

v. 12-26  – Ele é Jeová, o Deus criador desta Terra. Diante dele nada somos, nações poderosas nada são, nossas obras nada são, nossos deuses nada são.

v. 27-31 – Porém o povo de Israel ainda acha que Ele ao os pode salvar. Ele relembra que ele não se cansa de insistir na salvação do homem. Mas isso virá ao que aos “que esperam no Senhor” – O que é esperar no Senhor?

-Romanos 15:4 :Estuda as escrituras

-1 João 3:3: Purifica-se

Morôni 7:40-44

 

 

Isaías 41:8-17

 

8Mas tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem elegi, semente de Abraão meu amigo?
9Tu a quem tomei desde os fins da terra e te chamei dentre os seus mais excelentes, e te disse: Tu {és} o meu servo, a ti te escolhi e não te rejeitei.
10 Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus: eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
11Eis que envergonhados e confundidos serão todos os que se irritaram contra ti; tornar-se-ão nada, e os que contenderem contigo perecerão.
12Buscá-los-ás, mas não os acharás; e os que pelejarem contigo tornar-se-ão nada, e como cousa que não é nada os que guerrearem contigo.
13Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita, e te digo: Não temas, que eu te ajudo.
14Não temas, ó bichinho de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o Senhor, e o teu redentor é o Santo de Israel.
15Eis que te preparei trilho novo, que tem dentes agudos; os montes trilharás e moerás; e os outeiros tornarás como a folhelho.
16Tu os padejarás e o vento os levará, e o tufão os espalhará; mas tu te alegrarás no Senhor e te gloriarás no Santo de Israel.
17Os aflitos e necessitados buscam águas, e não as há, e a sua língua se seca de sede: mas eu o Senhor os ouvirei, eu o Deus de Israel os não desampararei.

Diante da vitória e ascenção de Ciro (o Justo) os iníquos recorrem a seus ídolos (v.7), mas o povo de Israel não deve temer. Quais promessas destas você precisa em tua vida hoje?

Ser um escolhido dentre os mais excelentes;

Saber que Deus está contigo, te dá força, te apoia com sua  mão direita e te ajuda;

Saber que os teus inimigos serão vencidos;

Saber que ele te pega pela mão e te ajudará;

 

Isaías 42

 

1 EIS aqui o meu Servo, a quem sustenho, o meu Eleito, {em quem} se compraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele; juízo produzirá entre os gentios.
2Não clamará, não se exaltará, nem fará ouvir a sua voz na praça.
3A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega: em verdade produzirá o juízo;
4Não faltará nem será quebrantado, até que ponha na terra o juízo: e as ilhas aguardarão a sua doutrina.
5¶ Assim diz Deus, o Senhor, que criou os céus, e os estendeu, e formou a terra, e a tudo quanto produz: que dá a respiração ao povo {que} nela está, e o espírito aos que andam nela.
6Eu o Senhor te chamarei em justiça, e te tomarei pela mão e te guardarei, e te darei por concerto do povo, e para luz dos gentios;
7Para abrir os olhos dos cegos, para tirar da prisão os presos, e do cárcere os que jazem {em} trevas.
8Eu {sou} o Senhor; este {é} o meu nome; a minha glória pois a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura.
9Eis que as primeiras cousas passaram, e novas cousas eu {vos} anuncio, e, antes que venham à luz, vo-las faço ouvir.
10Cantai ao Senhor um cântico novo, e o seu louvor desde o fim da terra: vós os que navegais pelo mar, e tudo quanto há nele; vós, ilhas, e seus habitadores.
11Alcem {a voz} o deserto e as suas cidades, com as aldeias {que} Quedar habita: exultem os que habitam nas rochas, {e} clamem do cume dos montes.
12Dêem glória ao Senhor, e anunciem o seu louvor nas ilhas.
13 O Senhor como poderoso sairá, como homem de guerra despertará o zelo: clamará, e fará grande ruído, {e} sujeitará os seus inimigos.
14Por muito tempo me calei, estive em silêncio, {e} me contive; mas agora darei gritos como a que está de parto, {e a todos} assolarei e juntamente devorarei.
15Os montes e outeiros tornarei em deserto, e toda a sua erva farei secar, e tornarei os rios em ilhas e as lagoas secarei.
16E guiarei os cegos por um caminho {que} nunca conheceram, fá-los-ei caminhar por veredas {que} não conheceram; tornarei as trevas em luz perante eles, e as cousas tortas {farei} direitas. Essas cousas lhes farei, e nunca os desampararei.
17Tornarão atrás {e} confundir-se-ão de vergonha os que confiam em imagens de escultura, e dizem às imagens de fundição: Vós {sois} nossos deuses.
18 Surdos, ouvi, e vós, cegos, olhai, para que possais ver.
19Quem {é} cego, senão o meu servo, ou surdo como o meu mensageiro, a {quem} envio? e quem é cego como o galardoado, e cego como o servo do Senhor?
20Tu vês muitas cousas, mas não as guardas: ainda que tenha os ouvidos abertos, nada ouve.
21O Senhor se agradava dele por amor da sua justiça: engrandeceu-o {pela} lei, e {o} fez glorioso.
22Mas {este é um} povo roubado e saqueado: todos {estão} enlaçados em cavernas, e escondidos nas casas dos cárceres: são postos por presa, e ninguém há que os livre; por despojo, e ninguém diz: Restitui.
23Quem há entre vós que ouça isto? {que} atenda e ouça o que há de ser depois?
24Quem entregou Jacó por despojo, e Israel aos roubadores? {porventura} não foi o Senhor, aquele contra quem pecaram, e nos caminhos do qual não queriam andar, não dando ouvidos à sua lei?
25Pelo que derramou sobre eles a indignação da sua ira, e a força da guerra, e lhes pôs labaredas em redor, mas {nisso} não atentaram; e os queimou, mas não puseram {nisso} o coração.


O Servo do Senhor

v.1 “Eis aqui” ( Heb. Hen: Olhe!, Veja![comparar com 1 Néfi 11, onde Néfi recebe a mesma ordem em cada etapa da visão sobre a primeira vinda de Cristo]) é uma ordem! Deus irá revelar a Esperença de Israel que não vem como um Rei mas como um Servo (ver João 13:12-17) - Cristo é o Servo do Pai, Nele o Pai se compraz, Ele extenderá o alcance do Evangelho a toda a criatura, a todo o filho de Deus, não se limita mais a uma linhagem ou povo.

v.2 – Seu método é baseado na humildade ele é o Rei dos Reis mas não chegou como um conquistador de nações, ele veio como um pescador de homens ou como um pastor de ovelhas.(Ver Mateus 12:15-21)

v. 3 – O pavio fumegante  e a cana trilhada simbolizam a fragilidade. Ele amava o fraco e o doente, o pobre eo injustiçado, o moribundo e o marginalizado. Ele comia com publicanos e pecadores, era solícito com as mulheres e crianças, sofria com as dores dos pobres, reconhecia o valor do ser humano por ser simplesmente humano.

v. 4 – A missão de Cristo foi cumprida na íntegra, (João 19:10-11) – As “ilhas” (As Américas) aguardavam ansiosamente a sua Doutrina (3 Néfi 1:12-13 e 3 Néfi 9-11).

v. 6 - Cristo personifica o novo convênio, a nova aliança entre Deus eo homem, entre o Pai e a Israel moderna(Hebreus 8:6-13)

v.7 – Cristo libertou os mortos da prisão das trevas do pecado. (1 Pedro 3:18-20)

v.9 – A intenção clara de registrar a novidade do Evangelho de Jesus Cristo é expressada.

v. 13 – A partir daqui o tempo muda, Isaías vê o Cristo da Segunda Vinda. No v. 16 ele descreve como será a restauração de sua doutrina. No v.17 a 20 ele dá um recado para os que estão ainda cegados pela idolatria.

Ezequias

Diante da saúde renovada e da vida acrescida, Ezequias cria novo ânimo.  Cria um cântico de gratidão a Deus.(Isaías 38:9-20)

A Assíria novamente começa a precionar o Rei.

v. 4 – Que confiança é essa?

v. 6 – Ela é fruto da confiança nas coisas materias ou na força humana – metáfora da cana.



Isaías 36-39



2 Crônicas 29:1-11


1Tinha Ezequias vinte e cinco anos de idade, quando começou a reinar, e reinou vinte e nove anos em Jerusalém; e era o nome de sua mãe Abia, filha de Zacarias.
2E fez o que era reto aos olhos do SENHOR, conforme a tudo quanto fizera Davi, seu pai.
3Ele, no primeiro ano do seu reinado, no primeiro mês, abriu as portas da casa do SENHOR, e as reparou.
4E trouxe os sacerdotes, e os levitas, e ajuntou-os na praça oriental,
5E lhes disse: Ouvi-me, ó levitas, santificai-vos agora, e santificai a casa do SENHOR Deus de vossos pais, e tirai do santuário a imundícia.
6Porque nossos pais transgrediram, e fizeram o que era mau aos olhos do SENHOR nosso Deus, e o deixaram, e desviaram os seus rostos do tabernáculo do SENHOR, e lhe deram as costas.
7Também fecharam as portas do alpendre, e apagaram as lâmpadas, e não queimaram incenso nem ofereceram holocaustos no santuário ao Deus de Israel.
8Por isso veio grande ira do SENHOR sobre Judá e Jerusalém, e os entregou à perturbação, à assolação, e ao escárnio, como vós o estais vendo com os vossos olhos.
9Porque eis que nossos pais caíram à espada, e nossos filhos, e nossas filhas, e nossas mulheres; por isso estiveram em cativeiro.
10Agora me tem vindo ao coração, que façamos uma aliança com o SENHOR Deus de Israel, para que se desvie de nós o ardor da sua ira.
11Agora, filhos meus, não sejais negligentes; pois o SENHOR vos tem escolhido para estardes diante dele para o servirdes, e para serdes seus ministros e queimadores de incenso.

2 Reis 18:1-7


1 E sucedeu que, no terceiro ano de Oséias, filho de Elá, rei de Israel, começou a reinar Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá.
2Tinha vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar, e vinte e nove anos reinou em Jerusalém; e era o nome de sua mãe Abi, filha de Zacarias.
3E fez o que era reto aos olhos do SENHOR, conforme tudo o que fizera Davi, seu pai.
4Ele tirou os altos, quebrou as estátuas, deitou abaixo os bosques, e fez em pedaços a serpente de metal que Moisés fizera; porquanto até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso, e lhe chamaram Neustã.
5No SENHOR Deus de Israel confiou, de maneira que depois dele não houve quem lhe fosse semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele.
6Porque se chegou ao SENHOR, não se apartou dele, e guardou os mandamentos que o SENHOR tinha dado a Moisés.
7Assim foi o SENHOR com ele; para onde quer que saía se conduzia com prudência; e se rebelou contra o rei da Assíria, e não o serviu.


Ezequias reina no lugar de seu pa Acaz. É conhecido como um rei justo. Restaura o culto do Templo e destrói os locais de culto idólatra.


2 Reis 18:13-16


3Porém no ano décimo quarto do rei Ezequias subiu Senaqueribe, rei da Assíria, contra todas as cidades fortificadas de Judá, e as tomou.
14Então Ezequias, rei de Judá, enviou ao rei da Assíria, a Laquis, dizendo: Pequei; retira-te de mim; tudo o que me impuseres suportarei. Então o rei da Assíria impôs a Ezequias, rei de Judá, trezentos talentos de prata e trinta talentos de ouro.
15Assim deu Ezequias toda a prata que se achou na casa do SENHOR e nos tesouros da casa do rei.
16Naquele tempo cortou Ezequias o ouro das portas do templo do SENHOR, e das ombreiras, de que ele, rei de Judá, as cobrira, e o deu ao rei da Assíria.

Contudo diante do grande invasor – Assíria – até mesmo o fiel Ezequias, teme pela sorte da cidade de Jerusalém e submete-se a pagar pesado tributo, usando para isso até mesmo o tesouro e adornos do Templo. (701 a. C.) Isso contrário as palavras de Isaías.


Isaías 36:4

4E Rabsaqué lhes disse: Ora dizei a Ezequias: Assim diz o grande rei, o rei da Assíria: Que confiança é esta, em que esperas?


Mesmo que houvesse  pago pesado tributo, a custas do próprio ornamento do templo, que no início de seu reinado havia reparado, o rei da Assíria queria mais, queria escravos, queria tira-los daquela terra, coisa que fará com o Reino do Norte(v. 16-17) Rabsaqué oferece ao povo uma nova aliança e uma nova terra (repare que ele afirma “como a vossa”). Ele sabia do histórico recente de idolatria do povo, de seu temor e atrás de si tinha algo como 200.000 homens armados. Foi algo aterrorizante.


Mesmo assim Ezequias havia feito alguns preparativos para resistir ao ataque. (ver 2 Crôn. 32:1-12)


1 Depois destas coisas e desta verdade, veio Senaqueribe, rei da Assíria, e entrou em Judá, e acampou-se contra as cidades fortificadas, e intentou apoderar-se delas.
2Vendo, pois, Ezequias que Senaqueribe vinha, e que estava resolvido contra Jerusalém,
3Teve conselho com os seus príncipes e os seus homens valentes, para que se tapassem as fontes das águas que havia fora da cidade; e eles o ajudaram.
4Assim muito povo se ajuntou, e tapou todas as fontes, como também o ribeiro que se estendia pelo meio da terra, dizendo: Por que viriam os reis da Assíria, e achariam tantas águas?
5E ele se animou, e edificou todo o muro quebrado até às torres, e levantou o outro muro por fora; e fortificou a Milo na cidade de Davi, e fez armas e escudos em abundância.
6E pôs capitães de guerra sobre o povo, e reuniu-os na praça da porta da cidade, e falou-lhes ao coração, dizendo:
7Esforçai-vos, e tende bom ânimo; não temais, nem vos espanteis, por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda a multidão que está com ele, porque há um maior conosco do que com ele.
8Com ele está o braço de carne, mas conosco o SENHOR nosso Deus, para nos ajudar, e para guerrear por nós. E o povo descansou nas palavras de Ezequias, rei de Judá.
9¶ Depois disto Senaqueribe, rei da Assíria, enviou os seus servos a Jerusalém (ele porém estava diante de Laquis, com todas as suas forças), a Ezequias, rei de Judá, e a todo o Judá que estava em Jerusalém, dizendo:
10Assim diz Senaqueribe, rei da Assíria: Em que confiais vós, para vos deixardes sitiar em Jerusalém?
11Porventura não vos incita Ezequias, para morrerdes à fome e à sede, dizendo: O SENHOR nosso Deus nos livrará das mãos do rei da Assíria?
12Não é Ezequias o mesmo que tirou os seus altos e os seus altares, e falou a Judá e a Jerusalém, dizendo: Diante de um único altar vos prostrareis, e sobre ele queimareis incenso?


No verso 4 o astuto Rabsaqué, faz uma pergunta que geralmente ouvimos em momentos de crises. Que confiança é esta que tu manifestas?

Esta pergunta ficou sem resposta. Naquele momento nem Eliaquim, Sebna ou outro dos oficiais souberam responder. Diante de grandes 

dilemas em nossa vida esta pergunta é sussurrada em nossos ouvidos, vem em nossa mente. Como podemos responde-la?

Pedro aprendeu de forma dura que você precisa ter esta resposta pronta.(Ver Mateus 26:31-35 e 69-75)

31 Então chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar.
32E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito.
33Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo.
34E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.
35E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo?

69 Ora, Pedro estava assentado fora, no pátio; e, aproximando-se dele uma criada, disse: Tu também estavas com Jesus, o galileu.
70Mas ele negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes.
71E, saindo para o vestíbulo, outra criada o viu e disse aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o Nazareno.
72E ele negou outra vez, com juramento: Não conheço {tal} homem.
73E, logo depois, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Verdadeiramente, também tu és deles, pois a tua fala te denuncia.
74Então, começou ele a praguejar e a jurar, {dizendo:} Não conheço {esse} homem. E imediatamente o galo cantou.
75E lembrou-se Pedro das palavras de Jesus, que lhe dissera: Antes que o galo cante, três vezes me negarás. E, saindo dali, chorou amargamente.
Mais tarde em sua vida ele aconselha que sempre devemos estar prontos para responder a “razão de nossa esperança” (ver 1 Pedro 3:15)

5Antes santificai a Cristo, como Senhor, em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós:
       

 Isaías 37

Diante da crise Ezequias tem dois caminhos:


  1. Desespero e abraçar a oferta da Assíria;
  2. Buscar a resposta no lugar e com a pessoa que estão mais perto de Deus na Terra: O Profeta e o Templo!  

    Ele sabiamente opta pela segunda. (ver 1-6)


A tranqüila e sucinta resposta de Isaías (v.6) encoraja Ezequias a apresentar-se no Templo e buscar a força de Deus (v. 14-20)

A resposta vem por Isaías, forte e decidida (ver v. 21-38). O Senhor respondeu o Senhor lutou por Israel e lutará por ti!


Isaías 38:1-8


1 E ACONTECEU que, tendo ouvido isto o rei Ezequias, rasgou os seus vestidos, e se cobriu de saco, e entrou na casa do Senhor.
2E enviou Eliaquim, o mordomo, e Sebna, o escrivão, e os anciãos dos sacerdotes, cobertos de sacos, a Isaías, filho de Amós, o profeta.
3E disseram-lhe: Assim diz Ezequias: Este dia {é} dia de angústia e de vitupérios, e de blasfêmias, porque chegados são os filhos ao parto, e força não {há} para os dar à luz.
4{Porventura} o Senhor teu Deus terá ouvido as palavras de Rabsaqué, a quem enviou o rei da Assíria, seu amo, para afrontar o Deus vivo, e para o vituperar com as palavras que o Senhor teu Deus tem ouvido: faze oração pelo resto que ficou.
5E os servos do rei Ezequias vieram a Isaías.
6E Isaías lhes disse: Assim direis a vosso amo: Assim diz o Senhor: Não temas à vista das palavras que ouviste, com as quais os servos do rei da Assíria de mim blasfemaram.
7Eis que porei nele {um} espírito, e ele ouvirá um rumor e voltará para a sua terra; e fá-lo-ei cair morto à espada na sua terra.
8¶ Voltou pois Rabsaqué, e achou o rei da Assíria pelejando contra Libna; porque ouvira que {já} se havia retirado de Laquis.

O Senhor queria ensinar mais coisas a  Ezequias 

adoece. Ele então chama o profeta Isaías e este dá a sentença de morte.

A cura milagrosa e a incrivel promessa de salvaguardar Jerusalém contra a Assíria foram ainda mais firmadas com o sinal do relógio do sol.



Curiosidade o erudito James W. Thirle sugeriu que os Salmos 120 a 134, os quinze cânticos dos degraus, foram acrescentados pelos escribas de Ezequias para celebrar os 15 anos a mais na vida do Rei.



Diante da saúde renovada e da vida acrescida, Ezequias cria novo ânimo.  Cria um cântico de gratidão a Deus.(Isaías 38:9-20)

A Assíria novamente começa a precionar o Rei.

v. 4 – Que confiança é essa?

v. 6 – Ela é fruto da confiança nas coisas materias ou na força humana – metáfora da cana.